A A A

Maltês

PADRÃO OFICIAL DO MALTÊS

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA
FÉDÉRATION CYNOLOGIQUE INTERNATIONALE

Classificação F.C.I.: 65
Grupo 9 - Cães de Companhia
Seção 1 - Bichons e Raças Assemelhadas
Padrão FCI no 65 - 06 de abril de 1998.
País de origem: Bacia Central do Mediterrâneo
País Patrono: Itália
Nome no país de origem: Maltese
Utilização: Companhia
Sem prova de trabalho

MALTÊS
NOMENCLATURA CINÓFILA UTILIZADA NESTE PADRÃO


1 - Trufa 13 - Perna 25 - Braço
2 - Focinho 14 - Jarrete 26 - Ponta do esterno
3 - Stop 15 - Metatarso 27 - Ponta do ombro
4 - Crânio 16 - Patas
5 - Occipital 17 - Joelho
6 - Cernelha 18 - Linha inferior
7 - Dorso 19 - Cotovelo a - profundidade do peito
8 - Lombo 20 - Linha do solo
9 - Garupa 21 - Metacarpo b - altura do cotovelo
10 - Raiz da cauda 22 - Carpo
11 - Ísquio 23 - Antebraço a b = altura do cão
12 - Coxa 24 - Nível do esterno na cernelha

APARÊNCIA GERAL: de tamanho pequeno, corpo alongado. Coberto por uma pelagem branca muito longa. Muito elegante com um distinto e orgulhoso porte da cabeça.

PROPORÇÕES IMPORTANTES: o comprimento do corpo é maior 38% do que a altura na cernelha. O comprimento da cabeça é igual a 6/11 da altura na cernelha.

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: vivo, afetuoso, muito dócil e muito inteligente.
CABEÇA: seu comprimento é igual a 6/11 da altura na cernelha. Ela é bastante larga, excedendo ligeiramente a metade de seu comprimento.

REGIÃO CRANIANA
CRÂNIO: ligeiramente mais longo que o focinho; a largura bizigomática é igual ao seu comprimento e consequentemente superior a metade do comprimento da cabeça. No sentido sagital ela é de forma levemente ovóide; a parte superior do crânio é plana, com uma crista occipital levemente marcada. A protuberância dos ossos frontais e das arcadas superciliares são bem desenvolvidas; o sulco frontal e tão pouco marcado que é invisível; as faces laterais dos ossos parietais são ligeiramente convexas.
STOP: depressão naso-frontal fortemente marcada, fazendo um ângulo de 90°.

REGIÃO FACIAL
TRUFA: na prolongação da cana nasal; vista de perfil, sua face anterior é vertical. Volumosa com narinas abertas, arredondada e absolutamente preta.
FOCINHO: o comprimento do focinho é igual a 4/11 do comprimento da cabeça; portanto, ligeiramente menor do que sua metade. A região sub-orbital é bem cinzelada. Sua profundidade é 20% menor do que seu comprimento. Os lados do focinho são paralelos, mas, o focinho, visto de frente, não deve parecer quadrado, tendo em vista que a face anterior se une às laterais por curvas. O focinho é retilíneo com um sulco bem marcado na sua parte central.
LÁBIOS: vistos de frente, os lábios superiores têm a forma de um arco muito aberto em suas junções. São pouco desenvolvidos em profundidade e a comissura labial não é visível. O lábio superior se adapta perfeitamente ao lábio inferior, a tal ponto que o perfil inferior do focinho é definido pela mandíbula. As bordas dos lábios devem ser absolutamente pretas.
MAXILARES: normalmente desenvolvidos, de aparência leve e perfeitamente adaptados. A mandíbula, cujas ramificações são retas, não é nem proeminente, nem recuado em sua parte anterior.
DENTES: as arcadas dentárias são perfeitamente adaptadas e os incisivos articulados em tesoura. Os dentes são brancos, a dentição é bem desenvolvida e completa.
OLHOS: abertos, de expressão viva e atenta, maiores do que se imagina; sua forma tende a ser redonda. As pálpebras estão em contato com o globo ocular nunca inseridas profundamente, mas em nível com a cabeça, ligeiramente salientes. Os olhos são inseridos em um plano quase frontal. Vistos de frente, não devem mostrar a esclerótica (o branco dos olhos); são de cor ocre escuro; a borda dos olhos são pretas.
ORELHAS: de forma quase triangular; sua largura é mais ou menos 1/3 de seu comprimento. São inseridas altas, acima do arco zigomático, pendentes, caídas rentes as laterais do crânio, pouco eretas.
PESCOÇO: embora coberto por uma pelagem abundante, a nuca é bem visível. O perfil superior é arqueado. Seu comprimento é aproximadamente a metade da altura na cernelha. É portado ereto e não apresenta nenhuma pele solta.

TRONCO: o comprimento, da ponta do ombro à ponta da nádega é 38% maior que a altura na cernelha.
LINHA SUPERIOR: reta, até a inserção da cauda.
CERNELHA: ligeiramente acima da linha superior.
DORSO: seu comprimento é de aproximadamente 65% da altura na cernelha.
GARUPA: no prolongamento da linha dorso-lombar, a garupa é muito larga e longa; sua obliquidade é 10° abaixo da horizontal.
PEITO: amplo; descido abaixo dos cotovelos, com costelas pouco arqueadas. A circunferência do peito é de 2/3 a mais do que a altura na cernelha. A região do esterno é muito longa.
CAUDA: inserida ao nível da garupa, espessa na raiz e fina na ponta. Seu comprimento corresponde a mais ou menos 60% da altura na cernelha. Forma uma única curva grande, cuja ponta cai entre as ancas, tocando a garupa. A cauda caída para um lado do corpo é tolerado.

MEMBROS ANTERIORES: muito próximos ao corpo; as pernas são retas e paralelas.
OMBROS: seu comprimento representa 1/3 da altura na cernelha e sua obliqüidade abaixo da horizontal é de 60° a 65°. Em relação ao plano mediano do corpo quase vertical.
BRAÇOS: mais comprido do que o ombro, medindo 40° a 45° na altura da cernelha. A obliqüidade é de 70%. Bem próximos ao corpo nos seus 2/3 superiores e sua direção longitudinal é quase paralela ao plano mediano do corpo.
COTOVELOS: paralelos ao plano mediano do corpo.
ANTEBRAÇOS: secos com poucos músculos visíveis, mas com uma ossatura bastante robusta em relação ao tamanho da raça.
CARPOS: na linha vertical do antebraço, flexíveis; sem nodosidade; coberto de uma pele fina.
METACARPOS: tem as mesmas características do carpo e por serem curtos, são verticais.
PATAS ANTERIORES: redondas, dedos fechados e arqueados, almofadas plantares e digitais, pretas; unhas devem ser pretas ou pelo menos de cor escura.

MEMBROS POSTERIORES: no conjunto, de ossatura robusta; paralelos e vistos por trás, verticais, da ponta da garupa ao solo.

COXAS: fortemente musculosas e sua borda posterior é convexa. Paralelas ao plano mediano do corpo, sua direção desde acima até abaixo e detrás até a frente, é um pouco oblíqua em relação à vertical. Seu comprimento é aproximadamente de 40% da altura na cernelha e sua largura é ligeiramente menor do que seu comprimento.
PERNAS: com uma canela pouco visível entre o tendão e o osso, sua obliqüidade abaixo da horizontal é de 55º. São ligeiramente mais longas que as coxas.
ANGULAÇÃO DOS JARRETES: a angulação anterior do jarrete é de 140°.
JARRETES: a distância do solo até a ponta dos jarretes é ligeiramente maior que 1/3 da altura na cernelha. Seu comprimento corresponde a altura do jarrete. São perfeitamente aprumados.
PATAS POSTERIORES: redondas como as anteriores, com as mesmas características.

MOVIMENTAÇÃO: uniforme, rasante no solo, livre, com passadas curtas e muito rápidas no trote.

PELE: muito aderente em todas as partes do corpo. Pigmentada com manchas escuras e com manchas vinho avermelhadas, especialmente no dorso. As bordas dos olhos, a terceira pálpebra e os lábios são pretos.

PELAGEM
PÊLO: denso, brilhante, lustroso, caindo pesadamente e de uma textura sedosa, muito longa sobre todo o corpo; reto sobre todo seu comprimento, sem sinal de ondulação ou caracol. Sobre o tronco deve ser mais longo do que a altura da cernelha e cai pesadamente para o solo, como uma capa bem colocada sobre o tronco sem se abrir ou formar flocos ou mechas. Flocos ou mechas são aceitáveis nos membros anteriores, do joelho à pata. Não tem subpêlo. Na cabeça, o pêlo é muito longo, como também, no focinho onde ele se mistura com o pêlo da barba, também no crânio de onde ele cai até misturar com o pêlo das orelhas. Na cauda, os pêlos caem para trás de um lado do corpo, quer dizer, sobre um dos flancos e sobre as coxas, de um comprimento que atinge os jarretes.

COR: branco puro; um pálido tom de marfim é permitido. Manchas pálidas de sombra laranja é tolerado, mas não desejado e constitui uma imperfeição.

TAMANHO
altura na cernelha:
machos: de 21 a 25 cm.
fêmeas: de 20 a 23 cm.

PESO
Peso: 3 a 4 kg.

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade. - Estrabismo bilateral.
- Comprimento do corpo excedendo em 43% da altura na cernelha.

FALTAS SÉRIAS
- Nariz romano.
- Prognatismo inferior, se interferir na aparência do focinho.
- Tamanho dos machos acima de 26 cm ou abaixo de 19 cm.
- Tamanho das fêmeas acima de 25 cm e abaixo de 18 cm.

FALTAS ELIMINATÓRIAS
- Acentuadas divergências ou convergências dos planos da cabeça.
- Total despigmentação da trufa ou trufa de outra cor senão o preto.
- Prognatismo superior.
- Olhos azuis.
- Total despigmentação das bordas palpebrais dos olhos.
- Ausência de cauda ou cauda encurtada, congênitos ou adquirida.
- Pêlo crespo.
- Qualquer outra cor senão branco, com exceção da cor marfim pálido.
- Manchas de diferentes cores, de qualquer tamanho.

NOTAS:
- Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.
- Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.